quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Leituras de Janeiro - O Que Você Está Lendo de bom?


Janeiro foi um mês delicioso! Mini férias, tranquilidade para ler meus livros sossegada.
Ótimas leituras! Curti todos os livros.

A partir deste mês começo a mostrar minhas viagens literárias, no Lendo Pelo Mundo. Este mês viajei pelo Brasil, Colômbia, Chile, Angola, Suíça e EUA.

Resumo do mês: 
01 livro para o Clube de Leitura 
01 e-book (lido no Kobo)
01 livros de parcerias
10 livros da minha biblioteca

E você? Me conta... Leu algum deste?
Fiz esta pergunta para meus amigos e as respostas foram maravilhosas!! Muitos responderam prontamente, o que me deixou muito feliz. Pretendo fazer um ranking com as respostas e volto para contar para vocês.





domingo, 7 de fevereiro de 2016

Filmes de Janeiro

Uma das resoluções para 2016 é assistir mais filmes, em casa e no cinema (no cinema, infelizmente menos, porque não aguento gente mal educada que fica com celular ligado e deixa aquele "holofote" de luz atrapalhando os outros...)
Para deixar esta tarefa mais animada compartilhei um álbum na nossa página do Face e todo mês vou trazer um resumo dos filmes assistidos. Lembrando que não tenho a menor pretensão de crítica de cinema, apenas vou deixar minhas impressões e comentários. Vamos conferir o que assisti em janeiro:
Sentimentos que Curam
08/01/2016
Adoro o Mark Ruffalo!! E estava doida pra assistir este filme. Não consegui ver no cinema e assisti em casa. Muito bom!
Adoro as temáticas relacionamento familar e doenças psiquiátricas.
Ruffalo vive um pai bipolar que passa a cuidar das duas filhas pré-adolescentes enquanto a mãe volta a estudar em outra cidade. Recomendo.
4 estrelas
Boston, Estados Unidos. O fato de Cameron (Mark Ruffalo) ser maníaco-depressivo não impediu que Maggie (Zoe Saldana) se envolvesse com ele. O casal teve duas filhas, mas os constantes colapsos nervosos de Cameron fizeram com que eles deixassem de morar juntos, por mais que mantivessem contato constante. Em 1978, devido às dificuldades financeiras, Maggie resolve fazer um curso de especialização em Nova York, com duração de 18 meses. A saída para que o plano dê certo é que Cameron deixe o hospital psiquiátrico em que vive para voltar a morar em casa, cuidando das garotas, com Maggie visitando o trio aos finais de semana. Trata-se de um grande desafio para Cameron, que precisa assumir de vez as responsabilidades de pai e aprender a controlar a própria doença.
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-195227/
O Bom Dinossauro
13/1/2016
Assisti no cinema. Achei um desenho bem fofo! Trata sobre relacionamento familiar, superação de medos e perdas familiares e amizade. Várias crianças chorando...gostei!
4 estrelas.
s dinossauros foram extintos após a colisão de um gigantesco asteróide com o planeta Terra. E se este evento não tivesse ocorrido? O filme parte desta premissa para trazer a história de dinossauros que ainda hoje controlam o planeta. E mostra a amizade de Arlo, um dinossauro adolescente, com um jovem menino humano, Spot.


Um Senhor Estagiário
17/1/2016
Assisti em casa. 
5 estrelas.
Robert de Niro está fantástico (como sempre), envelhecendo muito dignamente! Adorei!!! Recomendo muito Emoticon smile Gostei muito da dupla De Niro e Anne Hathaway, funcionou muito bem.
Jules Ostin (Anne Hathaway) é a criadora de um bem-sucedido site de venda de roupas que, apesar de ter apenas 18 meses, já tem mais de duas centenas de funcionários. Ela leva uma vida bastante atarefada, devido às exigências do cargo e ao fato de gostar de manter contato com o público. Quando sua empresa inicia um projeto de contratar idosos como estagiários, em uma tentativa de colocá-los de volta à ativa, cabe a ela trabalhar com o viúvo Ben Whittaker (Robert De Niro). Aos 70 anos, Ben leva uma vida monótona e vê o estágio como uma oportunidade de se reinventar. Por mais que enfrente o inevitável choque de gerações, logo ele conquista os colegas de trabalho e se aproxima cada vez mais de Jules, que passa a vê-lo como um amigo.
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-206217/

Mustang
22/1/2016
Assisti em casa.
4 estrelas.
Filme turco, conta a estória de cinco irmãs. Filme lindo!!!!!! Adorei!!! Retrata os hábitos e dilemas de uma geração em choque com costumes arraigados. Muito bom. Terno, bonito, engraçado, comovente...
No início do verão em um vilarejo turco, Lale e suas 4 irmãs brincam de forma debochada com os meninos, o que acarreta em um escândalo de consequências muito fortes: a casa delas se torna praticamente uma prisão, elas aprendem a limpar ao invés de ir para a escola e seus casamentos começam a ser arranjados. As cinco não deixam de desejar a liberdade, e tentam resistir aos limites que lhes são impostos.
Um Santo Vizinho
Assisti em 29/1/2016
Assisti em casa, pelo Netflix
Delicia de filme! Adoro esta temática! Filme gostoso para uma sexta feira. Como Bill Murray está envelhecido...
4 estrelas.
Maggie (Melissa McCarthy) acaba de se divorciar. Ela e o filho de 12 anos - fragilizado pela separação dos pais - se mudam. Um vizinho, St. Vincent De Van Nuys (Bill Murray), se aproxima deles e se oferece para cuidar do menino. Depois de hesitar, Maggie aceita, pois é enfermeira e faz plantões de madrugada.Uma grande amizade nasce entre o menino e o veterano de guerra, Vincent. Apesar de ele não ser a pessoa mais indicada para cuidar de uma criança, essa amizade faz muito bem ao menino.

E você, quais filmes assistiu este mês? Qual é sua dica? Me conta!



sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Maratona Literária de Carnaval #maratonadecaranavaldoblogdaclauo


Este ano teremos nossa maratona literária de carnaval!!!!!
Foi um pedido do pessoal do nosso grupo do desafio dos 100 Livros em Um Ano.
Como funcionará:
Você deve postar sua lista (do que pretende ler no carnaval). Mesmo que não consiga ler tudo, não faz mal! A intenção é te motivar :)
Todo dia poste um comentário sobre sua evolução, pode ser com foto ou não no nosso evento.
No último dia você deve preencher nosso formulário e assim concorrerá ao nosso sorteio, de um livro surpresa.
Venha!! Leia e brinque com a gente!!
Use nossa #maratonadecarnavaldoblogdaclauo

Minha lista:
Pretendo atualizar este post conforme o feriado passar.
Vamos?!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Nosso Findi #Coisinhasdofinde 3 e 4

  Findi  começou com vinho em casa e cafés gostosos
Teve encontro super especial com Queridoca Bibi, amiga blogueira das antigas, que toda vez que vem pra SP matamos a saudades. Desta vez foi no delicioso bairro de Vila Madalena :)

No domingo teve café da manhã com outra amiga querida de blog, a Michelle do ótimo Resumo da Ópera. Croissant de amêndoas simplesmente divino.
 Flagra na janela...
 Flores na caminhada
Relaxando no feriado
Aproveitei o findi para ler, assistir filmes e descansar e você? Me conta.
Esta BC Coisinhas de Finde proposta pela Camila, do CasaMila. Minha inspiração veio do blog da minha amiga Chris, do delicioso Inventando com a Mamãe.
Participe você também. É uma ótima forma de ficar atenta aos detalhes e curtir ainda mais o final de semana. 


domingo, 31 de janeiro de 2016

Doce Inimiga Minha - Eu Li!!

Finalizei meu primeiro livro da Marcela Serrano, escritora chilena. Não conhecia sua escrita, mas li várias avaliações positivas. 
Neste livro Marcela explica que começou a publicar contos depois de um  pedido do jornal El Pais. Os 20 contos deste livro deste livro exploram diversos países e lugares do mundo, não só do Chile e este passeio pelo mundo é um dos atrativos do livro.
Outro dado que achei muito interessante foi que Marcela dá voz não só às mulheres, como acontece no seu livro As Dez Mulheres, mas a homens e bichos. Há um conto que o cachorro é o narrador e em outro, duas gatas. Muito bacana! Esta diversidade torna o livro interessante e dinâmico. Gosto muito da escrita sobre o cotidiano, sobre reflexões, frustrações, possibilidade não realizadas, enfim, sobre a vida e a autora explora estes temas com muita sensibilidade e cuidado. 
Curiosamente o conto que leva o título do livro foi o que menos me chamou a atenção e o que eu achei mais difícil de entender. Nele Marcela discorre sobre reflexões sobre Dom Quixote e este não é um tema que me chama muito a atenção. 
Seus livros são editados pela Alfaguara e as capas são lindas! Adorei esta aqui. Diagramação excelente, letra confortável. 

"...Recordo  ter pensado ao fitá-lo, em algo distante, comovedor; ele evocava um estranho anseio, uma plenitude, como um trem de brinquedo que, com a corda já dada, cruza sincera e tranquilamente as montanhas" (página 28)
Em Doce inimiga minha, Marcela Serrano — autora de Dez mulheres — explora o universo feminino através de vinte narrativas curtas. Com cenários e enredos diversos, os contos evocam sentimentos com os quais toda mulher precisa lidar. 
Do Chile à Bósnia, da Itália à Croácia, em cidades grandes ou pequenos vilarejos, acompanhamos mulheres vulneráveis mas destemidas. Apesar de seus medos, elas se veem em situações em que são obrigadas a se reinventar, a lutar pela união de suas famílias, a combater a solidão, em busca da felicidade. Sejam jovens ou velhas, ricas ou pobres, intelectuais ou donas de casa, todas almejam encontrar a liberdade e a coragem que precisam para enfrentar momentos de crise.
No romance, há mulheres que lutam contra o avançar da idade, acreditando que o cuidado com a beleza pode salvar o casamento; que sonham com a maternidade a qualquer custo; que tentam se libertar da rotina imutável de uma vida sem graça; que buscam abrigo em lugares distantes para esquecer um amor perdido; que abrem mão de seus princípios em troca de segurança; que precisam solucionar problemas familiares sem contar com ajuda alguma.
Cada uma delas, seja qual for a idade, posição social ou ideologia, tenta preencher uma espécie de vazio existencial, e mostra seu lado mais vulnerável. Ao retratar o mundo interior feminino, Marcela Serrano revela a profundidade das alegrias e dos medos destas mulheres tão diferentes e, ao mesmo tempo, tão parecidas.
Sobre a autora:
Filha de escritores, Marcela Serrano estudou Belas Artes na Universidade Católica do Chile e trabalhou no ambiente acadêmico e artístico. Considerada um dos novos talentos da literatura latino-americana, a autora recebeu o prêmio Sor Juana Inés de la Cruz (1991), com o romance de estreia Nosotros que nos queremos tanto. Em 1993, a autora lançou Para que no me olvides – ganhador do Municipal de Novela, o mais importante reconhecimento literário do Chile. Suas outras obras são Antigua vida mia (1995), El albergue de las mujeres tristes (1997) e Nuestra Señora de la Soledad (1999), que confirmou seu talento e acolhida do público. Entre outras publicações, destaque para Un mundo raro (2000), livro de contos; Lo que está en mi corazón (2001), finalista do Prêmio Planeta e grande sucesso na América Latina e Espanha; e Hasta siempre, mujercitas (2004), esplêndido romance que homenageia o clássico de Louise May Alcott.

Este livro cumpre o desafio de janeiro do Blog Pausa para um Café #ViagemnaLiteratura que em janeiro visitou o Chile. Ainda não conheço este belo país, mas está nos meus planos!
Também entra na nossa participação no Lendo o Mundo:





sábado, 30 de janeiro de 2016

Holocausto Brasileiro - Eu Li!!

Eu já sabia, antes de começar a leitura, que este seria um livro muito bom! Pesado, forte, mas bom. Primeiro pelo currículo da Daniela Arbex, jornalista super competente e cuidadosa, depois porque o prefácio é da Eliane Brum e eu adoro a escrita dela (se ela indica, só pode ser ótimo!).
Gosto muito de livros reportagens. Livros baseados em fatos reais estão entre os meus preferidos. Adoro! 
Deixa conta antes uma coisa para vocês. Não sei se todos sabem, mas sou psicóloga e trabalho com saúde mental há mais 23 anos. Psiquiatria sempre me fascinou e me assustou, aliás assusta muita gente, afinal o limite entre a sanidade e a loucura é muito tênue. Na faculdade gostava tanto das aulas de psicopatologia e me destaquei tanto que fui convidada para ser monitora no hospital psiquiátrico. Amava aquelas aulas de monitoria e durante um ano realizei esta monitoria com muito carinho e atenção. Presenciei muitos casos tristes, mas nenhum deles poderia se comparar aos narrados pela Daniela neste livro assombroso. 
O hospital conhecido como Colônia, na cidade de Barbacena foi cenário de milhares de casos trágicos, de negligência, de descasos, de torturas e até de tráficos de cadáveres. 
Apesar do tema pesado, dos casos horripilantes, a autora encontrou um tom maravilhoso para narrar este livro. Com coragem e determinação, apresenta fatos, entrevistas e fotos que compõem um verdadeiro dossiê que se transforma na memória de um período tão triste e vergonhoso.
Edição primorosa da Geração Editorial. Capa e fotos sensacionais, ótima diagramação, letra muito confortável. 
Recomendo muito esta leitura.
Sinopse do Skoob:

Neste livro-reportagem fundamental, a premiada jornalista Daniela Arbex resgata do esquecimento um dos capítulos mais macabros da nossa história: a barbárie e a desumanidade praticadas, durante a maior parte do século XX, no maior hospício do Brasil, conhecido por Colônia, situado na cidade mineira de Barbacena. Ao fazê-lo, a autora traz à luz um genocídio cometido, sistematicamente, pelo Estado brasileiro, com a conivência de médicos, funcionários e também da população, pois nenhuma violação dos direitos humanos mais básicos se sustenta por tanto tempo sem a omissão da sociedade.
Pelo menos 60 mil pessoas morreram entre os muros da Colônia. Em sua maioria, haviam sido internadas à força. Cerca de 70% não tinham diagnóstico de doença mental. Eram epiléticos, alcoólatras, homossexuais, prostitutas, gente que se rebelava ou que se tornara incômoda para alguém com mais poder. Eram meninas grávidas violentadas por seus patrões, esposas confinadas para que o marido pudesse morar com a amante, filhas de fazendeiros que perderam a virgindade antes do casamento, homens e mulheres que haviam extraviado seus documentos. Alguns eram apenas tímidos. Pelo menos 33 eram crianças.

Daniela Arbex é uma das jornalistas do Brasil mais premiadas de sua geração. Repórter especial do jornal Tribuna de Minas há 18 anos, tem no currículo mais de 20 prêmios nacionais e internacionais, entre eles três prêmios Esso, o mais recente recebido em 2012 com a série “Holocausto brasileiro”, dois prêmios Vladimir Herzog (menção honrosa), o Knight International Journalism Award, entregue nos Estados Unidos (2010), e o prêmio IPYS de Melhor Investigação Jornalística da América Latina e Caribe (Transparência Internacional e Instituto Prensa y Sociedad), recebido por ela em 2009, quando foi a vencedora, e 2012 (menção honrosa). Em 2002, ela foi premiada na Europa com o Natali Prize (menção honrosa).

O livro mais recente da Daniela, Cova 312, já está aqui, na fila esperando a leitura:
Este livro cumpre o desafio de janeiro do Desafio I Dare You 2016, que é ler um livro assustador



O Grande Ivan - Eu Li!

Li várias críticas interessantes sobre este livro. Quando vi que o desafio de janeiro do Skoob era ler um livro sobre fantasia, pensei neste na hora. Embora seja baseado em fatos reais, a autora dá voz aos personagens, Ivan conversa o tempo todo com seus companheiros de cativeiro. 
O Grande Ivan é um livro sobre amizades, sobre expectativas, sobre solidão, sobre família. Numa linguagem terna e afetiva, a autora explora um ambiente que pouco visito e por isso foi tão interessante. 
Este é um livro bem reflexivo, que te faz pensar sobre a exposição dos animais, não só em zoológicos, como em circos e em outros locais afins. Percebemos mudanças nos últimos tempos, o que deixa não só os Ivans, como todos nós mais aliviados.
Edição muito linda da Editora Nova Conceito, Selo #Irado. Capa (dura) bonita, letras confortáveis, sem erros de português, ótima diagramação, páginas amarelas.

Frases em destaque:
" Eles acham que sou velha demais para causar problemas - diz Stella.
Então completa:
- Mas a idade é um disfarce poderoso." (página 40).

"Como Stella se lembra de tudo, ela conhece muitas histórias. Eu gosto de histórias coloridas, com inícios escuros, meios agitados e finais azuis como um céu aberto. Mas qualquer história serve.
Não estou em condições de ser exigente". (página 68).

Meu nome é Ivan.
Eu sou um gorila.
Não é tão fácil quanto parece...
Ivan mora dentro de um shopping e nunca tinha pensado em voltar para a natureza até o dia em que a pequena Ruby, um filhote de elefante, foi comprada pelo dono do circo.
Baseado em fatos reais, O GRANDE IVAN é uma história deliciosa, cheia de humor, ao mesmo tempo doce e inteligente, sobre os direitos dos animais e sobre a força da amizade.
Não importa quantos anos você tem... Você deveria ler este livro hoje, agora mesmo. Aliás, o que você está esperando para começar?